fbpx

Romanelli ressaltou que o piso do salário mínimo regional do Paraná é o maior do Brasil

      A Assembleia Legislativa aprovou nesta quarta-feira (30) o reajuste de 7,34% no salário mínimo regional no Paraná. A lei será sancionada pelo governador Beto Richa no dia 1º de maio, durante o Primeiro de Maio Solidário, que acontece na Praça Nossa Senhora de Salete, no centro Cívico, em Curitiba. O novo piso regional prevê quatro faixas salariais, que variam de R$ 948,20 a R$ 1.095,60. O novo salário deve beneficiar cerca de um milhão de paranaenses de categorias profissionais que não têm convenção nem acordo coletivo de trabalho.

      O deputado Luiz Claudio Romanelli ressaltou a importância da política de valorização do salário mínimo no Estado e o acerto da discussão tripartite implantada pelo governador Beto Richa para definir os critérios do reajuste. “Muitos diziam que o governador Beto Richa iria acabar com o piso do salário mínimo regional. Ao contrário, o governador vem mantendo e ampliando a política de valorização do piso e determinou que o debate sobre o reajuste tivesse a participação tripartite, através do diálogo entre empregadores, trabalhadores e o poder público. Foi uma decisão absolutamente democrática, em que todos opinam, debatem. Chegamos, de forma inédita, ao consenso e conseguimos também definir o reajuste para 2015. Como ex-secretário do Trabalho, me orgulho de ter participado ativamente deste processo de discussão”, afirmou Romanelli.

      O deputado também ressaltou que o salário mínimo do Paraná é o maior do país, beneficia cerca de um milhão de trabalhadores e gera um círculo virtuoso na economia. “O trabalhador com mais renda consome mais. O empregador, para atender essa demanda, aumenta a produção, expande seus negócios e gera mais empregos. Isso é política de valorização, em que trabalhadores, empregadores e governo ganham. O Paraná é um dos estados que mais gera empregos no país, quase 350 mil novos empregos em 3 anos e 3 meses e isso é resultado das políticas públicas de atração de investimentos, ao bom ambiente de negócios e ao diálogo aberto e franco implantado pelo governador Beto Richa”, disse.

      FAIXAS SALARIAIS — São quatro faixas utilizadas para definir o piso de cada grupo ocupacional. Para o primeiro grupo, formado por trabalhadores empregados nas atividades agropecuárias, florestais e da pesca, o salário será de R$ 948,20. Para o segundo grupo, composto por trabalhadores de serviços administrativos, domésticos e gerais, vendedores e trabalhadores de reparação e manutenção, o mínimo regional passa a ser de R$ 983,40.

      Para profissionais da produção de bens e serviços industriais, que compõem o terceiro grupo, o salário foi reajustado para R$ 1.020,80. Já o quarto grupo, composto por técnicos de nível médio, o novo piso do salário mínimo regional será de R$ 1.095,60.

      Para 2015, o reajuste será igual à variação do INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) no acumulado de 12 meses, encerrados em dezembro de 2014, agregada à taxa real de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do país, em 2013 (apurada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE).

Deixe um comentário