O deputado Romanelli disse nesta terça-feira, 19, que a Geração Atitude se consolidou com uma “verdadeira aula de democracia e cidadania” dos jovens paranaenses que participaram do programa já em sua quinta edição na Assembleia Legislativa. “Foram 32 projetos de leis selecionados que trataram de temas relevantes e que mostram uma perfeita sintonia com a demanda da sociedade. Ao mesmo tempo, com a participação dos jovens, temos uma aula de democracia para todos”, disse.

“É uma aula para as comunidades escolares e para todos que participam desse belíssimo projeto. Um projeto vitorioso, muito importante na construção de cidadãos e cidadãs que já demonstram um espírito crítico e consciente do seu papel na sociedade. A participação de jovens no projeto Geração Atitude é uma demonstração de esperança”, completou.

Ainda nesta terça-feira, a Assembleia Legislativa aprovou a criação do programa Paraná Consciente, destinado à compreensão do orçamento público por estudantes do ensino médio. O projeto foi aprovado com emenda apresentada pela estudante Mariane Silvério, do Colégio Estadual Presidente Castelo Branco de Toledo. A proposta de Mariane foi escolhida como vencedora do programa Geração Atitude 2019.

Cidadania

Romanelli disse que a proposta da estudante de 19 anos é mais uma oportunidade de aproximar a Assembleia Legislativa com a população. “Este é um projeto de cidadania, fazendo com que os jovens participem do processo legislativo e construam soluções para temas relevantes em suas comunidades. Mostra uma perfeita sintonia com as demandas da sociedade. É uma aula de democracia”, complementou.

O projeto de Mariane estava entre os 32 selecionados para a última fase da quinta edição do Geração Atitude. No total, foram cadastradas 262 propostas desenvolvidas pelos estudantes da rede pública estadual de 202 colégios. O projeto da estudante estimula a compreensão de como funciona o orçamento público. O objetivo é fazer com que alunos tenham interesse e discutam a questão. Para isso, propõe a criação de cartilhas que expliquem o assunto, que também deverá ser abordado durante as aulas.

Mariane tem história de participação política. Já foi representante do Parlamento Jovem brasileiro, também representou o país em intercâmbio da ONU na Índia, fala cinco idiomas e no futuro quer ser diplomata. “O Geração Atitude resgata o exercício pleno da cidadania, permitindo a criação de um país melhor. É uma oportunidade de entender nosso papel na sociedade”, ponderou Mariana. “Este prêmio é a consagração do trabalho de um professor”, comemorou Simone Coelho, professora e orientadora da estudante no projeto.

Leis de estudantes

Dois dos projetos vencedores do Geração Atitude já se transformaram em leis estaduais. Na edição de 2015, a proposta vencedora foi da aluna Ingrid Ribeiro Serafim de Souza, do Colégio Estadual Itacelina Bittencourt, de Cianorte. A iniciativa tramitou na Assembleia, foi aprovada pelos parlamentares e, posteriormente, sancionada. A lei proposta pela estudante recebeu o número 18.763/2016 e instituiu o Programa Geração Atitude nas escolas da rede pública paranaense e incluiu a atividade no calendário oficial de eventos do Paraná, no mês de novembro.

Em 2017, o jovem Douglas Froelich, do 3º ano do Ensino Médio do Colégio Estadual do Campo Helena Kolody, de Cruz Machado, foi o vencedor com uma proposta para combater o bullying nas escolas paranaenses, em campanhas de esclarecimento acerca do problema e debates entre a comunidade escolar.

O texto se transformou na Lei Estadual 19.678, do dia 27 de setembro de 2018.

Já no ano passado, foram dois os projetos vencedores do Geração Atitude. Os alunos secundaristas Luiz Augusto Rodrigues, de Ponta Grossa, e João Pedro Leal, de Boa Esperança, viram suas propostas, muito similares entre si, escolhidas entre os 32 projetos finalistas. As proposições tratam da conscientização sobre o uso da imagem das pessoas e das redes sociais.

Engajamento

O “Geração Atitude” estimula o debate entre os jovens de temas como cidadania, democracia participativa, voto consciente e ainda esclarece a atuação de cada uma das instituições envolvidas no projeto. Compreendendo melhor todos esses assuntos os jovens assumem o papel de agentes transformadores na sociedade em que vivem.

O programa foi formalizado em 2015 por meio de um convênio entre a Assembleia Legislativa do Paraná, a Secretaria de Estado da Educação, o Ministério Público do Paraná, o Tribunal de Justiça do Paraná e a Assessoria Especial para Assuntos de Políticas Públicas para a Juventude vinculada ao Governo do Paraná.

Deixe um comentário