O Ministério da Agricultura e Abastecimento certificou o serviço de inspeção do município de Santo Antônio da Platina que passa integrar o Sisbi (Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal) e que garante ao Norte Pioneiro comercializar produtos de origem animal no mercado nacional. “O foco principal é a piscicultura, mas a partir de agora podem ser comercializados laticínios, queijo, mel, carnes, entre outros produtos desse gênero. É mais um impulso para a economia do Norte Pioneiro”, disse o deputado Romanelli (PSB) que trabalhou para garantir a certificação junto aos governos federal e estadual.

“Isso vai motivar outras cidades a implantar o SIM (Sistema de Inspeção Municipal). Os produtores vão ter condições, por exemplo, de vender queijo para o Brasil inteiro. Que o Sisbi motive os outros municípios a implantar esse selo de suma importância para a indústria da região”, completa Romanelli.

O presidente da Cooaqui ( Cooperativa Agroindustrial dos Aquicultores Norte do Paraná), Carlos Eduardo Pinto Lima, disse que a adesão ao Sisbi é um novo marco para a piscicultura. “Agora vamos conseguir fechar uma cadeia de produtos com o abate e a comercialização para o mercado nacional. Nós já temos uma fábrica de ração, a produção de alevinos e agora temos a certificação para o abate”, disse

Empreendimentos – A adesão ao Sisbi, segundo Marcos Takuti, presidente da Apinor (Associação dos Piscicultores do Norte do Paraná), vai alavancar o desenvolvimento, garantindo aos frigoríficos a comercialização em todo Brasil e também favorece o surgimento de vários outros empreendimentos na região. “Agradecemos o empenho do deputado Romanelli junto às autoridades federais para que Santo Antônio da Plantina recebesse este certificado. Temos uma importante frente onde poderemos vender os nossos peixes, é mais uma porta para os produtores. A nossa cooperativa e a associação ganharão muito com isso”, disse.

O técnico da Emater, o engenheiro agrônomo Miguel Antonucci, disse que a medida vai atender pequenos frigoríficos da região que tinham o mercado, de certa forma, estagnado “Temos agora a abertura de mercado e isso vai proporcionar maior renda para a região. Temos proprietário de frigorífico que fez investimento alto esperando a certificação e agora vai poder buscar novos mercados. Isso vai repercutir em toda cadeia do norte do Paraná”, disse.

Antonucci atenta que a região oeste já tem os certificados e conta com mais de 20 frigoríficos que abatem mais de 50 toneladas/dia. “Para a região norte, é uma oportunidade grande para dar vazão a produção. A região tem um único frigorífico, de Rolândia, que está abatendo cinco toneladas/dia e também está buscando a certificação. O Sisbi depende muito do município investir na sua vigilância sanitária e a prefeitura tem que entender a importância deste investimento”.

Deixe um comentário