fbpx

emprego-parana-680x453

O Paraná gerou 90.349 empregos com carteira assinada em 2013, um aumento de 3,50% em relação ao estoque de trabalhadores de dezembro de 2012 e foi o terceiro Estado do país que mais criou novas vagas. Os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados ( Caged) divulgados nesta terça-feira ( 21) pelo Ministério do Trabalho e Emprego mostram que o Paraná foi superado apenas pelos estados de São Paulo, que criou 267.812 empregos ( 2,14%) e pelo Rio de Janeiro, com 100,800 empregos ( 2,67%).

O desempenho paranaense também é, em termos absolutos, o melhor da região Sul. De janeiro a dezembro de 2013, o Rio Grande do Sul gerou 90.164 vagas (3,47%) e Santa Catarina criou 76.762 postos de trabalho ( 4,04%). Os setores de atividade que mais contribuíram para a expansão paranaense foram os Serviços (39.196 postos), o Comércio (28.135 postos) e a Indústria de Transformação (15.177 postos).

Na avaliação do secretário do Trabalho, Emprego e Economia Solidária, Luiz Claudio Romanelli, o resultado alcançado pelo Paraná revela que o Estado teve um excelente desempenho. “ Em 2012, ficamos em quarto lugar na geração de empregos e em 2013 passamos para a terceira posição. Esses números mostram o acerto da política de atração de investimentos do governador Beto Richa, que criou um novo ambiente de negócios no Estado e mantém uma relação de diálogo com empregadores e trabalhadores. Acredito que 2014 será um excelente ano para a economia paranaense”, analisa Romanelli.

No ano, ao Interior do Estado foi responsável por 71.845 empregos , aumento de 4,67% em relação ao estoque de empregos em dezembro de 2012. Já a região Metropolitana de Curitiba registrou acréscimo de 18.504 empregos formais.

Em dezembro de 2013, por razões sazonais que marcam a série do Caged (entressafra agrícola, férias escolares, período de chuvas, término das festas no final do ano), que permeiam quase todos os setores/subsetores, verificou-se declínio de 1,59% no nível de emprego ou -43.022 postos de trabalho. Esse resultado decorreu da queda em todos os setores, com destaque para Indústria de Transformação (-17.625 postos), Serviços (-13.013 postos), Construção Civil (-4.725 postos) e Comércio (-4.089 postos).

BRASIL – Em 2013, foram gerados 1.117.171 postos de trabalho celetistas no país. Essa expansão deveu-se principalmente ao crescimento do emprego nos setores de Serviços ( 546.917 postos), do Comércio ( 301.095 postos), da Indústria de Transformação (126.359 postos) e da Construção Civil (107.024 postos).

Esse resultado aponta uma redução no ritmo de expansão, quando confrontado com os saldos registrados nos anos anteriores. Em 2012, nesse mesmo período de comparação, verificou-se um aumento de 1.301.842 postos de trabalho, quadro que já assinalava um arrefecimento no ritmo de crescimento do emprego em relação aos últimos anos. Apesar da desaceleração apresentada em 2013, o mercado de trabalho formal vem apresentando pelo quinto mês consecutivo ( de agosto a dezembro) um maior dinamismo frente ao mesmo período do ano anterior.

No mês de dezembro de 2013, verificou-se uma redução de 449.444 postos de trabalho, ou declínio de 1,10%, tomando como referência o estoque do mês anterior.

Deixe um comentário