fbpx

Segundo Romanelli, autor da proposta, principais projetos estratégicos para o Paraná serão entregues aos candidatos à Presidência da República. “É preciso definir os projetos que dependem da relação com o Governo Federal e que serão fundamentais para o desenvolvimento do Paraná, nos próximos anos”, diz.

A Assembleia Legislativa constitui,até o final desta semana, a comissão especial criada para elaborar a Agenda Paraná, documento com os principais projetos estratégicos para o Paraná que será entregue aos candidatos à presidência da República.A comissão terá 9 integrantes, indicados pelos líderes partidários. O PMDB indicará dois representantes e as bancadas do PSDB, PT, Democratas, PDT, do bloco PSB/PSC/PRB, do PP/PV/PSL e do PPS/PMN vão indicar um representante cada

“ A Agenda Paraná será construída em conjunto pelos parlamentares, Executivo, representantes de trabalhadores e setor produtivo estadual. Faremos audiências públicas e vamos convidar entidades de classe, como o CREA, Instituto de Engenharia, entidades representativas dos empresários como a Fiep, Faep, ACP, dos trabalhadores e da sociedade civil, para debater os principais projetos a serem apresentados aos candidatos”, explica o deputado luiz Claudio Romanelli, autor da proposta.

Romanelli diz que este é o momento para dar um basta à histórica discriminação que o Paraná sofre na distribuição dos investimentos federais e cobrar dos candidatos à presidente o compromisso de mais investimentos em obras de infraestrutura, saúde, educação.

“Esta é a oportunidade que o Estado tem para apresentar aos candidatos um plano de ações e obras para o desenvolvimento sustentável do Estado para os próximos anos. Embora o nosso Estado seja uma das economias mais fortes do país, não temos tido, por parte do governo federal, através dos programas, projetos, investimentos colocados à disposição dos Estados, a devida atenção. Os investimentos necessários para o desenvolvimento do Paraná são insuficientes. É preciso que sejam definidos os projetos estratégicos que dependem da relação com o Governo Federal e que serão fundamentais para o Estado do Paraná, nos próximos anos”, diz.

Entre os principais pontos da Agenda Paraná, defende Romanelli, devem constar obras de infra-estutura, como a duplicação de estradas. “Precisamos discutir a duplicação de rodovias federais como a BR-277, espinha dorsal de escoamento da produção paranaense e da BR-376, obras no Porto de Paranaguá e nas ferrovias paranaenses”, disse

A Agenda Paraná deve contemplar também um mecanismo de compensação pelos gastos do Estado com a manutenção do ensino superior.“Minas Gerais tem 11 universidades federais e 2 estaduais e o Rio Grande do Sul tem 7 instituições mantidas com recursos da União e apenas uma mantida pelo Estado. O Paraná é o estado com maior número de instituições de ensino superior estaduais em todo o país e investe R$ 2 bilhões por ano nas sete universidades estaduais. Precisamos que o governo federal corrija essa distorção e passe a assumir parte dos gastos com as universidades estaduais”, analisa.

 

 

Deixe um comentário