fbpx

O deputado Luiz Claudio Romanelli (PMDB), disse nesta terça-feira (2) que projeto de reajuste só pode ir a votação quando houver o mínimo de entendimento para ser votado. “Temos que tentar apaziguar os ânimos, seguir em frente. Este é o grande desafio que temos. Senão nós não teremos condições de votar o projeto na Assembleia”, afirmou.

Para Romanelli, há quatro meses que existe um confronto instalado. “As pessoas, professores e sociedade, ainda estão muito emocionadas com tudo o que aconteceu e não há clima para novos conflitos”, disse.

Segundo o deputado, o novo projeto apresentado ainda cabe análise pelo governo. “Na conversa que tivemos hoje (2), ficamos de encaminhar ao governador novos relatórios financeiros do Estado para que ele analise. Nós persistimos em uma busca da solução. Mas continuo mantendo permanentemente um diálogo com as entidades representativas dos servidores, especialmente o fórum das entidades sindicais”, disse.

De acordo com o parlamentar, foi apresentado uma proposta alternativa ao governo que tem um custo financeiro um pouco maior. “Mas é viável, de um ponto de vista, a partir de uma análise feita. O governo está avaliando esta proposta para manter a Data Base em maio de 2016 e ao mesmo tempo conceder o reajuste de 8.17%. Espero que a Assembleia Legislativa do Paraná possa votar este tema e que todos, oposição e posição, possamos encontrar uma solução para o impasse que estamos vivendo”, pontuou Romanelli.

“O maior problema são os alunos e alunas, professores e professoras sem aulas, os pais preocupados com o futuro de seus filhos e as salas de aula fechadas. Isto é um problema grave e temos que encontrar uma maneira para sairmos desta situação”, completou.