fbpx

pessut

O ex-governador Orlando Pessuti anunciou nesta terça-feira ( 17) o apoio ao grupo PMDB para Todos, que defende a coligação com o governador Beto Richa na eleição para o governo do Paraná.

“ Eu sempre disse que nós, do grupo PMDB para Todos, caminharíamos juntos. Chegue à conclusão que o melhor caminho~para o PMDB é o apoio à coligação com o governador Beto Richa e sendo assim, abro mão de disputar a indicação como candidato a governador para me somar à maioria do partido”, afirmou Pessuti.

Pessuti foi indicado pelos onze deputados estaduais que apoiam a reeleição do governador para ser o candidato do PMDB ao Senado, numa candidatura avulsa. “ De forma consistente, recebi a manifestação de todos os deputados do grupo PMDB para Todos para ser o candidato do partido ao Senado. Juntamente com meu grupo político, minha família e meus amigos estou analisando se tenho condições de fazer este enfrentamento”, afirmou.

Para o deputado Luiz Claudio Romanelli, o apoio do ex-governador Orlando Pessuti garante a vitória da coligação na convenção do partido, que acontecerá na sexta-feira ( 20). “ A adesão do Pessuti é muito importante. O PMDB indicará o vice na chapa do Beto e queremos que o ex-governador Pessuti seja o nosso candidato ao Senado. Ele tem uma história política vinculada à defesa dos interesses do Estado. Queremos um senador do “sim” porque estamos cansados dos senadores do “não.. É agregador, trabalhador e é o melhor nome que temos para senador”, disse.

Pessuti ressaltou que sua decisão atende aos interesses do partido no Estado e se contrapõe ao projeto personalista do senador Roberto Requião. “ Desisto de apresentar a minha candidatura ao governo pelo PMDB porque a minha história política sempre foi pautada pelo interesse partidário. Procurei sempre servir ao partido. Nesse momento, é importante para o partido assegurar a candidatura a vice na chapa do governador Beto Richa e garantir uma grande bancada na Assembleia Legislativa e na Câmara dos Deputados.

Pessuti acredita que com a adesão de seu grupo, a coligação com o PSDB será vitoriosa na convenção. Pelos seus cálculos, a coligação terá 60% dos votos contra 40% do senador Roberto Requião. “ Os deputados têm cerca de 30 a 35% dos votos, calculo que meu grupo reúne mais 25 a 30% dos votos. Essa união garantirá a derrota do projeto personalista de Requião, que não leva em conta o que é melhor para o partido, mas sim o interesse próprio”.

Segundo Pessuti, Requião historicamente tem colocado seus interesses pessoais acima dos partidários. “ Requião tem mais quatro anos de mandato. Mas não permite outra candidatura que não a dele próprio. Foi assim em 2010, quando impediu que eu fosse candidato ao governo e foi assim em várias outras oportunidades, quando impediu que o PMDB tivesse candidato próprio ao governo e levou o PMDB a apoiar candidatos de outros partidos”, disse.

O ex-governador ressaltou , ainda, que em um ano e meio no comando do partido, o grupo PMDB para Todos conseguiu reestruturar a legenda no Estado. “ Temos hoje 98% dos diretórios municipais legalizados e organizados. Voltamos a ter o fundo partidário. Quando estava sob o comando de Requião, o partido caiu de 150 prefeitos para 50, perdeu o fundo partidário e estava totalmente desestruturado. Estamos cuidando do partido, buscando alianças e a aliança mais viável é com Beto Richa”, disse.

Deixe um comentário