fbpx

Parcialmente queimada em 2020, a Ponte Pênsil Alves de Lima, em Ribeirão Claro, será revitalizada em breve, adiantou nesta sexta-feira (8) o deputado Luiz Claudio Romanelli (PSD). “É uma ponte histórica e centenária que liga os estados do Paraná e de São Paulo e usada exclusivamente pelos moradores que a cruzavam sobre o rio Paranapanema até a cidade paulista de Chavantes”, disse Romanelli ao destacar que o DER publicou nesta semana o edital de licitação para a recuperação e manutenção da travessia. A abertura dos envelopes será em 9 de agosto.

Segundo o Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná, a ponte foi parcialmente destruída por um incêndio em novembro de 2020 e desde então, está interditada. Tombada como patrimônio histórico do Paraná e São Paulo, a travessia tem 152,15 metros e largura de 5,4 metros – 2,9 metros de pista. 

“A ponte foi destruída por três vezes: em 1924 pelos revoltosos paulistas que formariam a Coluna Prestes em Foz do Iguaçu; em 1932 quando as tropas paulistas pretendiam retardar o avanço das tropas leais a Getúlio Vargas; e em 1983 quando foi levada pelas águas do rio Paranapanema”, contextualizou Romanelli.

Edital – O tabuleiro da ponte é de madeira e dividido em sete partes – seis apoiadas em pilares e uma parte pênsil, sustentada por cabos de aço apoiados em duas torres. A obra de recuperação tem valor estimado em pouco mais de R$ 1 milhão e prazo de execução de 90 dias após assinatura de contrato e emissão de ordem de serviço.

O edital prevê a recuperação da área atingida pelo incêndio, com remoção e substituição das peças destruídas, e manutenção do restante da ponte, com tratamento e impermeabilização da madeira, pintura das partes metálicas com material anticorrosivo, pintura das estruturas de concreto com nata de cimento, e substituição das peças de madeira fora de conformidade.

Deixe um comentário