O deputado Luiz Cláudio Romanelli (PSB) cumprimentou o produtor rural Leomar Mello Martins, de Santana do Itararé, premiado em segundo lugar no Mondial du Fromage et des Produits Laitiers de Tours, célebre concurso realizado na França. “O Norte Pioneiro tem se destacado com produção de qualidade, de referência mundial, como é o caso da goiaba, lichia, uva, café e agora temos o queijo produzido em Santana do Itararé. Estão de parabéns o Leomar Martins e sua família por essa conquista que revela ainda que o Paraná tem mais um produto de extrema qualidade que pode ser vendido no mundo inteiro”,  disse Romanelli.

Martins concorreu no concurso com um dos queijos produzido na sua propriedade, o Maná Concafé Gourmet. Seu queijo conquistou a medalha de prata. “Foi como se tivesse sido o ouro. É uma conquista improvável para a região e muito importante por colocar o queijo paranaense no cenário internacional”, disse Martins ao noticioso da Faep.

Na Fazenda Sítio Aliança, Martins e a família se dedicam à produção de 70 quilos de queijos artesanais especiais por dia. O leite utilizado também provém da propriedade, em que os pecuaristas mantêm 38 animais da raça Jersey, das quais 18 em lactação – e que produzem 380 litros por dia. “O leite que sobra da produção de queijos, a gente comercializa com a [cooperativa] Capal”, explica Martins.

A criação dos animais e a fabricação dos derivados é todo familiar. Martins e a mulher, Marisa, produzem os queijos, enquanto os filhos Lucas e Daniela cuidam do trato e da ordenha dos animais. “O nosso plano não é aumentar muito a produção, mas agregar valor. A gente quer fazer um queijo especial, personalizado, para atender a um público mais sofisticado. Tudo de forma profissional e trabalhando com a família”, conta Martins.

Medalha de prata, o Maná Concafé Gourmet, por exemplo, é um queijo maturado com 30 dias, produzido com cafés especiais da região do Norte Pioneiro. Outro detalhe que faz a diferença é o leite do Sítio Aliança, com proteínas e gordura na medida certa. “É um queijo que tem a maciez do leite Jersey, que é de altíssima qualidade. Dá aquele gostinho característico, com o plus do gostinho do café. Eu diria que aconteceu a química perfeita”, define o queijeiro.

(com informações da Faep)

Deixe um comentário