Os deputados Sandro Alex (federal, PSD) e deputado Romanelli (estadual PSB) e os vereadores Jair Boni e Sérgio Mazur acompanharam na última terça-feira, 3, o repasse de R$ 78 milhões, feito pelo governador Ratinho Junior a hospitais e santas casas do Paraná. Dentre os beneficiados, o Hospital de Caridade São Francisco de Assis de Rio Azul vai receber R$ 1.450.000,00 (R$ 350 mil para obras e R$ 1,1 milhão para equipamentos).

“Investir em saúde significa qualidade de vida. Esses recursos são para obras e compra de equipamentos muito importantes para os hospitais e santas casas que atendem pelo SUS (Sistema Único de Saúde), ou seja, é uma prestação de serviço de caráter universal, estendidos aos moradores dessas cidades e regiões onde estão os hospitais”, disse Romanelli.

Os recursos são destinados a obras (R$ 44,5 milhões) e equipamentos (R$ 33,5 milhões) e Rio Azul está entre os municípios contemplados.

Mais recursos

“O objetivo é diminuir as distâncias e acabar com os transportes longos de pacientes nas ambulâncias. Atuamos para fortalecer regionalmente os hospitais do Paraná. O Estado tem um bom ecossistema hospitalar, mas ele precisa ser fortalecido. O trabalho dos hospitais filantrópicos é de sacerdócio, cuidar das pessoas, além de ser invisível. Essa é a primeira etapa dos investimentos programados para os próximos anos”, disse Ratinho Junior.

O secretário Beto Preto (Saúde) adiantou que até 2022 serão investidos R$ 300 milhões nos mais de 100 hospitais beneficentes do Paraná. “Vamos melhorar os que já estão funcionando, aqueles de porta aberta. Construir novos hospitais faz parte de um sonho, mas temos que cuidar daqueles que já trabalham em função dos pacientes do SUS”, afirmou. “Essas ações vão beneficiar o Estado por inteiro, esse é o nosso lema”.

Segundo o secretário, as liberações apontam para procedimentos de média e alta complexidades, atendimentos materno-infantil, e resolvem entraves burocráticos que estavam parados há anos na Secretaria da Saúde. “Vamos comprar arcos cirúrgicos, atender melhor os traumas, as neurocirurgias, a ortopedia, mas também adquirir enxovais e itens mais básicos dos hospitais”, completou Beto Preto.

Deixe um comentário