fbpx

roma-gazetaO deputado estadual Luiz Claudio Romanelli (PSB), líder do governo na Assembleia, se comprometeu em ir a Brasília junto aos integrantes da União Paranaense dos Estudantes Secundaristas (Upes) para conversar com os deputados federais sobre a MP do Governo Federal que trata sobre a reforma do Ensino Médio no país. Romanelli participou na manhã desta segunda-feira (24) de um debate ao vivo promovido pela página no Facebook do jornal Gazeta do Povo.

O líder do governo fez um apelo ao presidente da Upes, Matheus dos Santos,  850 escolas sejam desocupadas em todo o Paraná. “Peço para que na assembleia estadual desta próxima quarta-feira (26), a Upes possa encaminhar pelo fim das ocupações para que o estado retome a normalidade. Também para que se abra uma nova fase de diálogo permanente com o governo. Comprometo-me em tomar as iniciativas de ir a Brasília”, afirmou.

Para o deputado, as ocupações, como movimento social, são legítimas e já deram o recado que pretendiam. “Temos que construir um diálogo, mas também retomar a normalidade das nossas escolas. O governo respeita o movimento social. Precisamos que as escolas sejam desocupadas, pois muitos alunos estão sendo prejudicados, principalmente nesta época do ano. Mas o restante da luta tem que continuar”, disse

Romanelli reafirmou que não haverá uso de força policial em eventuais reintegrações de posse. “Nós não teremos nas escolas do Paraná um novo 29 de abril. Não haverá uso de força policial. Encontraremos a solução através do diálogo. Acredito que a única forma que há para resolver essa questão das ocupações, é através do constante debate amplo”, pontuou.

O deputado também explicou que nas tratativas, já foi decidido que será feita uma Conferência Estadual do Ensino Médio, a partir das perspectivas dos jovens. “Vamos promover um grande evento estadual para discutir todos estes temas que envolvem a MP 476 do Governo Federal. Há rejeição unânime do Paraná à medida. Não iremos mudar nossa grade escolar. Podemos até fazer uma lei de responsabilidade educacional que regulamente este caso. As disciplinas de Sociologia, Filosofia, Educação Física e Artes, serão mantidas em nosso estado.”, afirmou.