O produtor e diretor de cinema Rubens Gennaro recebeu nesta quarta-feira (13), na Assembleia Legislativa do Paraná, o Título de Cidadão Honorário do Paraná. Entregue pelo primeiro secretário do Legislativo, deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB), a entrega ocorreu 20 anos após a honraria ser concedida pelo então deputado Orlando Pessuti (MDB), em 1999.

“É uma honra poder entregar esse título ao Gennaro, que eu conheço desde que era muito jovem, ainda estudante e que veio a capital como tantos outros em busca de conhecimento. Um título concedido há muito tempo pelo ex-deputado e ex-governador Orlando Pessuti e, que como primeiro secretário da Assembleia, é uma honra pode fazer essa entrega a uma pessoa merecedora do nosso maior respeito, um homem digno e trabalhador”, afirmou o deputado Romaneli. Ele lembrou que o cineasta desde muito novo se envolveu em grandes temas como no período de luta pela Redemocratização do Brasil, a Campanha das Diretas. “Ele participou ativamente de um momento nosso da história fantástico do fim da Ditadura e o início da Democracia. É um merecedor desta homenagem”.

O ex-governado Orlando Pessuti também relembrou dos tempos de Casa do Estudante Universitário, do trabalho dele com a criação da Secretaria Executiva das Casas de Estudantes do Paraná que trabalhava para que elas recebessem uma verba permanente do Estado em favor da moradia. “Nossa amizade foi consolidada e eu acompanhei como pude toda sua trajetória como produtor audiovisual e de cinema com os filmes Oriundi, Cafundó, Garibaldi, Água Selvagem. Ele é merecedor e nós aprovamos esse título em 1999. E hoje acabou dando certo, com o deputado Romanelli organizando essa entrega”.

“É uma honra, uma emoção que me deixa sem palavras. É comovente”, afirmou o homenageado que veio do interior de São Paulo cursar Arquitetura aqui no Paraná, morou em Casas de Estudante e se sente um paranaense. “Há mais de 20 anos estou aqui, constitui família e não vim receber antes esta honraria devido a minha vida razoavelmente caótica, mas durante todo esse período fiz o que eu pude para retribuir ao Paraná, tudo o que o Estado me deu”, comentou.

Em Curitiba, o cineasta constituiu família, teve três filhos e uma neta, conquistou grandes amigos, paixões, amores e como diz “sou parte destas araucárias todas”. E hoje, oficialmente, através do deputado Romanelli e por iniciativa do então deputado Pessuti, ex-governador, o título chegou às suas mãos. “Isso aumenta a minha responsabilidade. Amo o Paraná, Curitiba e quero continuar a trabalhar aqui enquanto Deus me der forças. E essa homenagem hoje significa um alento e uma carga energética grande para continuar com esse trabalho”, observou. Participaram do evento os jornalistas Nelson Martins, Valéria Prochmann e Vânia Mara Welte, a arquiteta Karin Klassen, Lucas Nekel, Edilberto Dalacorte e Sérgio Ricci.

Trajetória

Rubens Gennaro é arquiteto e urbanista por formação, mas também cartunista, aquarelista, produtor de audiovisual, de cinema e de filmes publicitários. Foi morador da Casa do Estudante Universitário (CEU), da Casa do Estudante Luterano Universitário (Celu), ativista da União Paranaense dos Estudantes (UPE) e da União Nacional dos Estudantes (UNE), foi presidente da Secretaria de Casas de Estudantes do Paraná (Secep) e da Secretaria Nacional de Casas de Estudantes (Sence).

Em 1984 iniciou sua carreira profissional trabalhando nas áreas de Marketing e Publicidade, participando de diversas campanhas políticas, gerenciando eventos de agrobusiness e atuando na promoção de eventos automobilísticos. Quatro anos depois, em 1988, fundou a Laz Audiovisual Ltda e realizou vários eventos cinematográficos em Curitiba. Em 1995 foi eleito presidente da Associação de Cinema e Vídeo do Paraná e por três anos se dedicou a produção de “Oriundi”, um longa-metragem estrelado por Antony Quinn e inteiramente rodado no Paraná.

Em 2005 dirigiu o longa metragem “A Cangada da Lapa” e desde 2006 está distribuindo o filme “Cafundó” no Brasil e no exterior. O longa foi dirigido por Paulo Betti e Clóvis Bueno. Produziu e está distribuindo “Anita e Garibaldi”, filme e minissérie para televisão realizada pela Laz em coprodução com a Itália. Produziu o documentário “Dario Vellozo”, em 2017 e está produzindo “Águas Selvagens”, em coprodução com a Argentina.

Atualmente está organizando a Mostra de Cinema e Audiovisual Laranja Doce em Martinópolis, São Paulo; desenvolvendo três projetos de longa metragem e séries para TV em parceria com produtores paulistas, israelenses e argentinos.

É Cavaliere Della República Italiana, membro da Associação Giuseppe Garibaldi, criador e presidente do Instituto Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul de Incentivo a Ciência e Cultura (Ibrics). Também foi membro do Conselho Superior da Celu e do Conselho Curador da CEU.

(foto Eduardo Matysiak)

Deixe um comentário