Pesquisas desenvolvidas pela UTFPR (Universidade Tecnológica Federal do Paraná) possibilitam a criação de programa de sustentabilidade no campus de Cornélio Procópio. A ação, coordenada pelo Laboratório de Energia Solar, em parceria com a Copel, foi elogiada nesta segunda-feira, 20, pelo deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB).

“Os estudantes mostram, através de pesquisa, que o desenvolvimento tecnológico é o caminho para um Brasil sustentável. Com a instalação de estações solarimétricas e o reuso de água, a UTFPR cumpre com o seu papel, de promover e criar soluções para garantir sustentabilidade”, avalia.

Por todo o campus da UTFPR em Cornélio Procópio, há experimentos que promovem a captação e reuso de água e geração de energia. Segundo o deputado, todas essas ações contribuem para a redução do consumo de energia elétrica e de água. “As pesquisas comprovam a eficiência e necessidade em se aliar sustentabilidade ecológica, econômica e social com pesquisa científica e desenvolvimento tecnológico”, ressalta o deputado.

Água

Uma das ações desenvolvidas pelos estudantes do Departamento de Engenharia da Computação permite a reutilização da água, usada para abastecer os banheiros e na limpeza. Uma caixa de coleta de água de chuvas com capacidade de até quatro mil litros de armazenamento foi instalada no bloco “P”. Com isso, as descargas nos vasos sanitários são feitas com o uso desta água que, se não fosse essa iniciativa, seria desperdiçada no meio ambiente.

“Ações simples devem nortear outras iniciativas importantes, que incentivam a reutilizar água ou, nesse caso, aproveitar melhor a água da chuva, que pode ser utilizada na limpeza e até mesmo nos banheiros, trazendo economia para a instituição e benefício para o meio ambiente”, disse Romanelli.

Energia Elétrica

Já as ações para economizar energia elétrica estão presentes em vários blocos do campus. Várias estações solarimétricas estão instaladas nos blocos para ajudar na economia, com o uso do sol como fonte geradora de energia.

No bloco “R”, por exemplo, onde será instalada a biblioteca, salas de aulas, do professor e administrativa, há uma estação composta por 98 módulos fotovoltaicos e um inversor de 30 KW. Com isso, a miniusina será capaz de produzir mais de 55 kWh energia por ano.

Outra estação localizada no bloco “S”, mede com precisão a irradiação solar. Ela é formada por módulos SFVCR (Sistemas Fotovoltaicos Conectados à Rede), que permitem a avaliação qualitativa da efetividade do sistema. “Em termos de tecnologias de geração fotovoltaica existentes na atualidade, esse modelo é o que há de mais moderno no mercado”, explica Romanelli.

Já no bloco “S”, que foi construído em 2019 para abrigar os cursos de engenharia elétrica, controle e automação, e eletrônica, tem uma estação solarimétrica e módulos de avaliação de SFVCR.

Essa tecnologia, explica Romanelli, além de gerar grande parte da energia elétrica consumida no bloco, possibilita o desenvolvimento de pesquisas científicas nas áreas de energia solar, por meio de placas fotovoltaicas, circuitos auxiliares, eletrônica de potência e qualidade de energia.

Todas as estações foram instaladas nos blocos com apoio da Copel. “Uma parceria que tem como objetivo promover a sustentabilidade. Pesquisa e desenvolvimento tecnológico caminham juntos e a UTFPR mostra que os investimentos para criar inovações tecnológicas é a solução para o futuro do Brasil e do mundo”, disse Romanelli.

Deixe um comentário